Textual description of firstImageUrl

A Lenda das Crianças Verdes de WoolPit



Crianças verdes? Eterno Crepúsculo? Ilha Luminosa? Conheça a história.

Dizem que, durante o reinado do rei Estêvão da Inglaterra no século 12, houve uma ocorrência estranha na vila de Woolpit em Suffolk. Esta ocorrência estranha foi na forma de duas crianças jovens que foram encontradas saindo de poços de lobo (valas profundas escavadas para armadilhas de lobos) e foram encontradas pelos agricultores durante a época da colheita. As crianças, um menino e uma menina, tinham uma pele verde,  usavam roupas coloridas estranhas, feitas de materiais desconhecidos e foram levadas para a aldeia.


Elas foram, então, entregues ao proprietário local, Sir Richard de Calne, onde elas se recusaram a comer algum alimento nos dias seguintes, até encontrar feijão fresco e comê-los com voracidade. Com o passar do tempo, o menino que parecia mais jovem dos dois, dizia ter ficado deprimido, o que levou a que ele ficasse enrubescido e logo morreu.

A menina, por outro lado, ajustou-se à nova vida e logo foi batizada. À medida que ela assimilou a vida na aldeia, além de aprender inglês, ela foi questionada sobre seu passado, mas só conseguiu relacionar detalhes vagos:

- Que as crianças eram irmão e irmã.
- Que vieram da "terra de São Martinho".
- Um lugar onde sempre foi crepúsculo.
- Todos os habitantes tinham uma pele verde.
- Outras versões dizem que ela descreveu outra terra "luminosa" que poderia ser vista em um "rio caudaloso" que separava sua terra de outra.

Ela lembrou que um dia eles estavam cuidando dos rebanhos de seus pais nos campos e os seguiram até uma caverna, onde ouviram o som alto de sinos. Eles seguiram o som enquanto vagavam pela escuridão por um longo tempo até chegarem à foz da caverna, onde foram imediatamente cegados pela luz do sol. Eles se deitaram por um longo tempo, antes que o ruído dos agricultores os assustasse e eles se levantaram e tentaram escapar, mas não conseguiram localizar a entrada da caverna antes de serem pegos. Dizem que ela, eventualmente, se casou com um homem no King's Lynn, no condado vizinho de Norfolk, aparentemente se tornando "bastante livre e despreocupado em sua conduta". Algumas fontes afirmam que ela tomou o nome de 'Agnes Barre' e o homem com quem ela se casou foi um embaixador senador de Henry II.


Existem duas fontes originais que são ambas do século 12:


- Robert M Williams, GreenWilliam de Newburgh (1136-1198) foi um historiador e monge inglês da Yorkshire. Seu trabalho principal foi na "História dos assuntos ingleses", onde foi responsável por assinalar qualquer evento significativo na história da Inglaterra de 1066 a 1198, na qual ele inclui a história das Crianças Verdes.

- Ralph de Coggeshall (morreu c 1228), que era o sexto abade da abadia de Coggeshall em Essex, de 1207 a 1218. Sua versão das Crianças Verdes está incluída na "Crônica Inglesa" à qual ele contribuiu entre 1187 e 1224.


Como pode ser visto a partir das datas, ambos os autores registraram o incidente muitos anos depois de terem ocorrido. O fato de que não há menção das Crianças Verdes nas Crônicas Anglo-Saxonas, mais lida com a história inglesa até a morte do Rei Stephen em 1154, e inclui muitas das "maravilhas" populares na época, poderia indicar uma data Para o incidente no início do reinado de Henrique II, em vez do reinado do rei Estêvão.

Há muitos fatos misturados nessa história das Crianças Verdes de WoofPit. Podemos acreditar no que quisermos mas, sem mais fontes, será difícil resolver esse mistério.

Compartilhe no Google Plus


Sobre Luciana Costa

Blogueira, escritora e life coach. Autodidata aplicada, amo psicologia e filosofia. Gosto de mistérios e curiosidades em geral. Esse blog é parte do que mais gosto de descobrir: os mistérios do mundo.

0 comentários:

Postar um comentário