Textual description of firstImageUrl

Robert, O Boneco Assombrado: O Brinquedo mais Assustador da Flórida é mais do que um Boneco



Se há algo em que a maioria das pessoas concordaria é um fato sobre Robert, o Boneco: Ele é assustador. Conheça sua história.

Honestamente, acho que uma das imagens mais aterrorizantes que já vi em um filme de terror é aquela cena em "Poltergeist", onde o malvado palhaço de brinquedo se aproxima e puxa o menino para baixo da cama. Até esse momento, nunca daria muito crédito a palhaços de brinquedo, mas esse filme certamente abriu meus olhos para o fato de que o mal se esconde em alguns dos últimos lugares que esperamos encontrar.

Mas são bonecas que mais me incomodam e acho que é porque você nunca pode ter certeza se houve um movimento que você pareceu ver no canto do olho. Essa boneca virou a cabeça um pouco? Ela piscou ou não piscou? Ela mexeu o pé? Sua mão não estava apoiada no joelho há um momento? Ah! Isso é impossível. É apenas uma boneca. Ou não?


Pesquise na Internet e encontrará centenas de bonecas assombradas, a maioria falsas e disponíveis para venda no Ebay. Mas, nessas pesquisas, encontrei dois que foram objeto de investigações paranormais oficiais e que são realmente bonecos muito assustadores(uma dessas é a Annabelle, que você pode ler aqui). Hoje, gostaria de apresentá-los a Robert, o boneco amaldiçoado, de Key West, Flórida.

Robert tem 111 anos de idade e vive no Fort East Martello Museum em Key West, Flórida. Antes disso, ele era propriedade de Robert Eugene Otto, um excêntrico artista e membro de uma proeminente família de Key West. (Sim, o boneco e o dono tiveram o mesmo nome, mas o menino era chamado de "Gene".) Robert foi um presente de aniversário de infância do avô de Otto, que comprou o boneco durante uma viagem à Alemanha.


O jovem Gene Otto rapidamente se apegou a Robert e levava o boneco com ele a cada lugar que ia. Ele "alimentava" Robert na mesa e dormia com ele à noite e, em mais de uma ocasião, o Sr. e a Sra. Otto podiam ouvir Gene conversando com alguém que tinha uma voz baixa e sinistra quando passaram pelo quarto dele. Mas, é claro, eles achavam que Gene estava apenas "brincando" com Robert.

Não demorou muito para que coisas estranhas começassem a acontecer fora do quarto. As lâmpadas caíam e quebraram, sem motivo aparente. Os talheres e os copos caiam da mesa de jantar. Vestiários rasgados e camas enrugadas eram encontrados em cômodos que não estavam sendo usados.

Cada vez que acontecia algo estranho, o Sr. e a Sra. Otto se voltavam para Gene, esperando uma explicação e ele sempre dizia: "Não foi eu! Foi Robert!". E todas as vezes, Gene era fortemente disciplinado por seus pais severos.

Ao longo dos anos, Gene e Robert continuaram a se aproximar cada vez mais, e após o Sr. e Sra. Otto morrerem, Robert e Gene ficaram sozinhos na casa. Gene morava em uma casa majestosa, ele chamava de "The Artist House", onde Robert podia ser visto na janela do andar de cima.


Os empregados vinham e não ficavam, devido à atmosfera sombria na casa. Eles ouviam risos quando ninguém estava no quarto - exceto Gene, é claro. Eles ouviam vozes e passos estranhos, e combinados com todas as outras atividades misteriosas, Gene teve dificuldade em manter os empregados.

Depois de um tempo, Gene decidiu que era hora de se casar, mas não demorou muito para que sua nova esposa, Anne, se assustasse, não só do apego obsessivo de Gene a Robert, mas também pelas coisas misteriosas que continuavam acontecendo.

A nova Sra. Otto podia sentir o mal em Robert. Ela, muitas vezes, viu sua expressão mudar de uma inocência para uma pura malevolência e ela sentiu uma ameaça à sua vida sempre que estava sozinha na sala com o boneco. Aterrorizada, ela disse a Gene que se ele quisesse manter o boneco, ele teria que deixa-lo no sótão e longe do resto da casa.

Robert Eugene (Gene) Otto casando-se com Annette (Anne) Parker
Depois de relegar Robert ao sótão, as crianças do bairro e os transeuntes começaram a notar o movimento enquanto passavam pela casa. Robert seguia de um extremo do sótão para o outro, rindo de forma maníaca, assistindo enquanto as pessoas passavam, ficando cada vez mais bravo e furioso pelos dias de seu confinamento.


Com Robert trancado no sótão, a saúde de Gene começou a se deteriorar. Logo, ele desafiou sua esposa e colocou Robert em seu quarto confortável na casa principal novamente. Infelizmente, a saúde de Gene continuou a deteriorar-se e quando ele morreu em 1974, sua esposa ficou sozinha na casa com Robert.

Mas não por muito tempo. A Sra. Otto, finalmente liberta, colocou Robert de volta ao sótão e rapidamente vendeu a casa, deixando Robert para os novos proprietários enfrentarem.


Quando os novos proprietários estavam investigando o sótão, sua filha de 10 anos descobriu Robert, sentado em uma pequena cadeira, escondido sob um cobertor. A menina se apaixonou por Robert, trouxe-o para o quarto dela e, adivinhe, foi quando Robert realmente intensificou suas atividades.

A menina começou a gritar durante a noite, aterrorizada, alegando que Robert estava se movendo no seu quarto e ele até a atacou várias vezes, tentando matá-la. Os pais da menina, rapidamente, removeram Robert da casa e sabendo um pouco da história dele, o doaram ao Museu East Martello em Key West.

Depois de algumas investigações, o museu rastreou as origens de Robert até a Steiff Company, a mesma fabricante de brinquedos que fabricou um ursinho de pelúcia em homenagem a Theodore Roosevelt. Robert provavelmente nunca foi produzido para ser vendido como um brinquedo - um historiador de Steiff disse ao museu que Robert provavelmente era parte de um conjunto fabricado para uma exibição de palhaços ou bufões. A roupa de marinheiro de Robert não foi fornecido pela empresa; Provavelmente era uma roupa que o próprio Gene Otto usava quando criança.


Mas a história não termina aqui. Longe de banir Robert para a obscuridade, sua chegada ao museu marcou um ponto de recomeço para o boneco. Desde sua chegada, os visitantes se reunem no museu para ver o brinquedo malicioso. Ele apareceu em programas de TV, já teve sua aura fotografada, ele é ponto de parada em um passeio fantasma, e inspirou um filme de terror. Ele tem uma página na Wikipedia e contas nas redes sociais.

Robert é mantido em uma caixa de vidro trancada no centro da sala do museu. Os trabalhadores do museu relatam vê-lo mover a mão ou o pé dele e ele frequentemente muda de posição durante a noite, enquanto ninguém está no museu. Os trabalhadores que permanecem no prédio, depois de horas, ouvem ruídos estranhos e risos.

Por duas semanas a cada ano, Robert é transferido do museu e exposto na Custom House em Key West e, enquanto ele está fora do museu, a atividade paranormal realmente aumenta.


Apesar dele estar encerrado em uma caixa de vidro, Robert ainda consegue realizar seus maus intentos. Os visitantes que tiram fotos de Robert, sem primeiro pedir sua permissão, relatam uma grande variedade de resultados desastrosos.

Alguns conseguem apenas um filme em branco, sem nenhuma imagem. Outros veem Robert em uma posição na foto, mas não é a posição que eles tiraram a foto. Alguns veem uma expressão maligna em seu rosto, ou os olhos dele estão meio fechados, a cabeça girada, ou o pé dele parece ter se movido, pois está embaçado na imagem.

Cartas com pedidos de perdão a Robert

Pior, porém, é o que acontece depois que eles deixam o museu, como evidenciado por todas as cartas postadas nas paredes que cercam Robert. Os visitantes que negligenciaram pedir sua permissão e criticaram suas fotos de alguma forma, ou pessoas que riem de Robert e não levam o mal dele a sério, encontram-se com uma terrível sorte, desde pneus dos carros furados, ferimentos graves e até a morte. Muitas das cartas que você vê são de pessoas implorando o perdão de Robert por não pedir sua permissão antes de tirar sua foto.


Robert também recebe e-mails e homenagens. "Ele recebe provavelmente uma a três letras todos os dias", diz Convertito, a cuidadora de Robert. Além das cartas com pedidos de desculpas, há cartas que pedem conselho, ou vingança para aqueles que os injustiçaram. Convertito diz que recebe cerca de mil cartas, que eles mantêm catalogadas.

Uma vez por ano, ela administra um check-up, tirando-o da caixa e pesando-o para avaliar se o clima úmido da Flórida afetou negativamente seu corpo cheio de palha. Ela também é sua representante, recebendo e lendo todos os seus e-mails e cartas e atualizando suas contas nas redes sociais.

Local de moradia de Robert

As fotos que você vê postada aqui foram tiradas por pessoas que pediram permissão ao boneco para fazê-lo. Felizmente, para essas pessoas, nada de ruim aconteceu. Mas pode apostar, eu nunca entraria em uma sala com o real Robert, o boneco amaldiçoado. Uma risadinha dessa pequena criatura malévola é tudo o que seria necessário para eu sair dali correndo como se não houvesse amanhã.

Cartaz do filme inspirado no boneco
Compartilhe no Google Plus


Sobre Luciana Costa

Blogueira, escritora e life coach. Autodidata aplicada, amo psicologia e filosofia. Gosto de mistérios e curiosidades em geral. Esse blog é parte do que mais gosto de descobrir: os mistérios do mundo.

0 comentários:

Postar um comentário