Textual description of firstImageUrl

Top 40 Lugares mais Assombrados do Brasil



Nosso país é um dos maiores e mais belos lugares do mundo, mas também tem muitos lugares assombrados com histórias de fantasmas e atividades paranormais.



Você já se perguntou onde estão os lugares mais assombrados do Brasil? Aqui estão eles!

1. Edifício Joelma - São Paulo



O prédio comercial, inaugurado em 1971 tem vários testemunhos de aparições de espíritos, que surgiram, especialmente, após o incêndio de 1974, que atingiu o prédio e matou 188 pessoas, ferindo 300. O incêndio foi provocado por um curto circuito em um aparelho de ar condicionado e se espalhou rápido.  Muitas das apavoradas vítimas tentaram fugir do incêndio subindo para o telhado, na esperança de serem resgatadas por helicópteros e outras foram para o parapeito das janelas.

Para complicar ainda mais a situação, o edifício não possuía heliporto e as telhas e a fumaça impediam um pouso ou aproximação maior dos helicópteros. Muitas pessoas, em pânico, não enxergando alternativas para se salvarem, pularam. Nenhuma delas sobreviveu. Durante o incêndio, 13 pessoas tentaram escapar pelos elevadores, mas morreram carbonizadas. Como, na época, não existia exame de DNA e os corpos estavam irreconhecíveis, não foi possível identifica-las. Assim, nasceu o Mistério das 13 Almas.


Mas o terreno onde o prédio foi construído já tinha uma história de assassinatos, que ajudou na fama de mal-assombrado: antes havia uma casa onde moravam o professor renomado Paulo Camargo, sua mãe e duas irmãs. Ele teria assassinado as três mulheres, em 1948, e jogado os corpos em um poço no terreno. Ao serem descobertos os corpos, o professor se matou e o caso foi arquivado. A casa permaneceu fechada durante anos, até ser demolida para que fosse construído o Edifício Joelma.


Como foi construído na região do poço, muitos acreditam  que o incêndio foi resultado da maldição do lugar. Hoje, o prédio comercial de 25 andares renomeado para Praça da Bandeira é considerado assombrado pelas vítimas do incêndio e muitas pessoas relatam sentirem uma sensação de grande angústia, quando visitam o local.


O Mistério das Treze Almas


Uma das lendas urbanas em torno do Edifício Joelma é a história das 13 pessoas que ficaram presas em um dos elevadores enquanto tentavam escapar.

Como não foi possível identificar os corpos, elas foram enterradas, lado a lado no Cemitério da Consolação. Dizem que, durante a noite, ouvia-se gemidos e lamentos no local dos túmulos, e as pessoas, ao saberem a causa da morte, colocaram copos de água nas sepulturas, tendo assim, cessado os gemidos. 

Até hoje os 13 túmulos são visitados por pessoas que deixam flores, pedidos e agradecimentos por terem alcançado graças, sendo um dos locais de peregrinação de muitos que acreditam nos milagres realizados pelas 13 almas.

2. Prefeitura de Brasília - Distrito Federal



A atividade que foi relatada na Prefeitura se assemelha à de um poltergeist com histórias de armários de arquivos que abrem e batem quando ninguém está no escritório.

Ainda mais assustador, um membro da equipe estava em um dos escritórios quando de repente a porta se fechou , trancando-o dentro! Ninguém estava lá.

Os moradores acreditam que a localização é assombrada pelo fato de ter sido usado como um necrotério que abrigava milhares de cadáveres. Não só isso, mas a Câmara Municipal sofre um incêndio em um ponto, matando algumas das pessoas que trabalhavam lá.


3. Itanhaém, A Praia do Sonho - São Paulo



Dizem que a Praia do Sonho é assombrada por um casal apaixonado que, infelizmente, morreu por causa de um acidente.

Ninguém sabe exatamente como eles morreram, se se afogaram ou  foram atingidos pelas ondas e bateram a cabeça nas pedras.

Há relatos de um casal fantasmagórico andando pela praia ou perto do mar, mas quando se consegue ver ... seus corpos estão em estado de decomposição.

Outros testemunham gritos altos e vozes distantes no meio da noite, quando não se vê outras pessoas está lá. Será que são os espíritos dos dois amantes que morreram, mas nunca deixaram a praia?

4. Museu Imperial de Petrópolis - Rio de Janeiro



No coração da cidade de Petrópolis encontra-se o Museu Imperial do Brasil. Construído em 1845, o museu era um dos palácios deslumbrantes do Imperador Dom Pedros II.

Dizem que o Imperador não saiu do palácio e sua figura fantasmagórica, às vezes, é vista à noite no jardim do palácio!

5. Estrada para Vitória(ES) - Rio de Janeiro


Muitos motoristas neste trecho de estrada veem coisas que não podem explicar.

De repente, um grupo de pessoas aparece do nada, atravessando a estrada em frente aos veículos. Enquanto o motorista pisa no freio, as pessoas desaparecem tão rapidamente quanto apareceram.

Infelizmente, muitos trabalhadores da construção civil foram mortos enquanto construíam a rodovia. Acredita-se serem esses espíritos os desses trabalhadores que foram mortos em acidentes terríveis na década de 1970.


6. Estrada Rio - Petrópolis - Rio de Janeiro



Há várias testemunhas de atividade paranormal neste trecho de estrada. O que eles veem? Uma mulher loira de pé ao lado da estrada pulando e agitando os braços tentando chamar a atenção de todos.

Os motoristas pensam se o caso de algum acidente ou carro quebrado e param para ver se eles podem ajudar. Quando eles perguntam à mulher o que está acontecendo, ela diz a eles que "Alguém lá em baixo precisa de ajuda!" e aponta para baixo para um carro quebrado com alguém dentro dele.

Em pânico, os motoristas correm para o veículo para ver se alguém está ferido e se eles podem ajudar. Eles percebem que a pessoa deitada no chão é a mesma mulher que estava parada ao lado da estrada.

Quando olham para a estrada, a mulher loira já desapareceu no ar! Olhando de volta para o local do acidente, de repente o carro e o corpo que se encontrava ao lado dele desapareceram também, deixando o excitante motorista sozinho.

Seria o espírito de uma mulher que morreu em um acidente de carro naquele local?

7. O Grande Hotel Trilogia, em Cambuquira - Minas Gerais



Em 2009, o Ghost Hunters International investigou O Grande Hotel  na 1ª temporada, recebendo provas convincentes e experiências pessoais. Suas descobertas levaram-nos a concluir que este é, de fato, um hotel assombrado!

Eles foram ao Grande Hotel para investigar inúmeras histórias de atividade paranormal, especialmente na sala 204. As observações de fantasmas ao redor do hotel, as batidas incomuns e  vozes fantasmagóricas foram relatadas.

Enquanto estava no local, o pessoal da GHI obteve imagens de uma aparição de corpo inteiro no corredor, uma névoa rápida na cozinha (onde a atividade foi relatada anteriormente) e experimentou muitas outras atividades.

8. O Castelinho do Flamengo - Rio de Janeiro



O Castelinho do Flamengo, situado em meio a modernos prédios, parece ser assombrado. Os rumores são  de que os proprietários do pequeno castelo foram mortos em um grave acidente e sua jovem filha Maria de Lourdes, na época com 10 anos, herdou tudo. Um tutor, o advogado da família, foi contratado para criar Maria de Lourdes no lugar de seus pais. Claro que não foi o que aconteceu. Maria de Lourdes era torturada e foi trancada em uma das torres e o tutor roubou todo o dinheiro que seus pais deixaram. Devido aos maus tratos, Maria de Lourdes se jogou da torre. Os anos passaram e, nos anos 70, foi transformado em um abrigo para sem-teto. O único problema era que os sem-teto não ficaram. Eles se queixaram de que uma mulher vinha acorda-los à noite.Esta mulher foi identificada mais tarde como Maria de Lourdes. Hoje, o pequeno castelo é um centro cultural aberto para visitas, mas ainda continuam tendo relatos de assombração no local.


9. Mercado Modelo - Salvador, Bahia



O Mercado Modelo é famoso em Salvador, na Bahia, e não é só por seu histórico de comércio. Os trabalhadores do mercado afirmam, categoricamente, que os túneis utilizados pelo estabelecimento para o armazenamento de bebidas são assombrados.

De acordos com esses trabalhadores, é possível ouvir pedidos desesperados de socorro ecoando pelos túneis, além de gemidos de dor. Segundo a história, isso acontece devido à antiga função do Mercado, que era utilizado para trancafiar escravos vindos da África durante o período escravocrata do Brasil.

10. Fazenda Capão Bonito - Sidrolândia, Mato Grosso do Sul



Em 1935, uma mulher teria se matado dentro da casa de uma fazenda situada em Sidrolância (Mato Grosso do Sul), a Fazenda Capão Bonito, de forma que o seu espírito permanece por ali até hoje, por conta de assuntos pendentes.

Os fazendeiros da região afirmam que todas as panelas da cozinha caem do nada, as portas se fecham sozinhas (sem nenhum vento soprando), e gemidos de agonia ecoam pela fazenda.

11. O Leprosário de São Francisco do Sul - Santa Catarina, Rio Grande do Sul



Hoje em ruínas, o Leprosário de São Francisco do Sul (SC), local onde funcionava o sanatório da cidade, contém vários relatos de assombrações e fenômenos paranormais. Este local recebia pacientes com lepra de todo o Sul do Brasil e está localizado na Praia do Forte. Testemunhas dizem que tiveram sensações negativas, dores de cabeça e avistaram aparições inexplicáveis, além de lamentos e pedidos de socorro dos leprosos que morreram em estado de angústia e dor.


12. Teatro Amazonas - Manaus, Amazônia



Localizado em Manaus, o Teatro Amazonas, com 105 anos de história, é conhecido por seu imenso valor histórico…e também por ser assombrado.

Segundo relatos de empregados e ex-empregados do teatro, há espíritos “brincalhões” que movem objetos e os mudam de lugar, atormentando todos que trabalham no local. Além disso, vozes são ouvidas dentro de camarins vazios.

Alguns até deixaram o emprego por não aguentarem as atividades paranormais dentro do Teatro Amazonas, o que provoca uma grande rotatividade de empregados.

13. Casarão Solar das Sete Mortes - Salvador, Bahia



Esse casarão, que existe desde os tempos coloniais, é conhecido por ser assombrado devido a tragédia que aconteceu no local.

Conta-se que no século XVIII uma escrava da família residente envenenou seus patrões e filhos como forma de vingança pelas crueldades a ela impostas. Desde então, pode-se ouvir gemidos, crianças chorando e gritos de raiva no casarão.

Já outra história relata a morte do padre Manoel Vieira, dois pardos e um negro, segundo registros de 1755. Hoje o prédio, que é patrimônio cultural da cidade, passou por uma reforma e abriga cursos de arte e música, que nunca passam das 17:00 horas, devido aos fenômenos paranormais ali presenciados.

14. Árvore Gameleira – Rio Branco, Acre



Gameleira é uma árvore centenária que fica na Rua da Cunha Matos, em Rio Branco, no Acre. Ela é conhecida por ter sido o ponto de apoio do acampamento de Neutel Maia, logo que chegou ao local, na época, inóspito. Mais tarde, Neutel viria ser o  fundador da cidade. Muita gente diz que já viu o vulto dele rondando o lugar ou sentado sob a copa da árvore.


15. Castelinho da Rua Apa – São Paulo



Em maio de 1937, um tiroteio no castelinho da rua Apa chacinou uma família – a mãe e os dois irmãos. Até hoje, o caso é uma incógnita e muita gente não acreditou na historia do duplo homicídio seguido de suicídio. A partir de então, o castelinho ficou abandonado e em poder do governo. Pessoas que passam por lá dizem que existe uma energia muito forte ali dentro e alguns já viram um homem de preto parado na janela.

16. O Cemitério dos Caboclos – Maringá, Paraná



O cemitério dos Caboclos fica no município de Paiçandu, região metropolitana de Maringá. Na verdade, o cemitério é um muro em círculo, formado por pedras, com uma capela, um monumento e uma cruz no centro. Acredita-se que, entre 1930 e 1950, os caboclos das redondezas eram enterrados ali. Muitos motoristas que passam por lá afirmam terem visto vultos vagando pela rodovia que sumiam no reflexo do retrovisor – o que pode ter distraído diversas pessoas e explicar os diversos acidentes que acontecem por lá.

17. As Caixeiras da Pedra do Divino – Itaguatins, Tocantins



A Pedra do Divino fica na cidade de Itaguatins e, como de costume, todo ano acontece a festa do Divino. Durante a celebração, existe um momento de pausa e silêncio para que sejam ouvidas as batidas de tambor provindas da Pedra, que fica no meio de um rio onde é quase impossível de se chegar. Na época do garimpo, um barco que transportava pessoas para a Festa do Divino naufragou ali, matando todos a bordo. Acredita-se que as almas destas pessoas produzem o barulho e participam da festa no mundo dos mortos.


18. Dom Bosco – Brasília, Distrito Federal



Os candangos foram responsáveis pela construção de Brasília e há quem diga os espíritos dessas pessoas aparecem em diversos locais da cidade. Dizem que no monumento Ermida Dom Bosco,  já foi visto o vulto de um padre que poderia ser o próprio sacerdote Dom Bosco. 

19. Fantasma do Frei - Vila Velha, Espírito Santo



O frei Pedro Palácios viveu por muitos anos no Convento da Penha. Palácios teria ajudado várias pessoas e até feito voto de pobreza. Pessoas que passam perto ou visitam o convento dizem ver o vulto de um homem passeando por lá.

20. O Cavaleiro de Jaraguá - Goiás



Diz que, na cidade de Jaraguá, existe uma casa mal assombrada na rua das Flores. Segundo os moradores, não só na casa, como no quarteirão, durante a noite, ouve-se o barulho de um cavalo marchando e o tilintar de suas esporas. Alguns relatam que já viram um cavaleiro com trajes antigos sobre o tal cavalo dentro da casa.


21. Cachoeira de Angahy Pequeno - Minas Gerais



Os moradores da pequena cidade de Aiuruoca afirmam que, ao se aproximar do local da cachoeira Angahy, barulhos típicos de trabalho braçal começam a ser ouvidos. Dizem que, na cachoeira mesmo, pessoas já sentiram empurrões que vieram do nada. Antigamente, ali nas proximidades do lugar, existiu uma fazenda que utilizava escravos como mão de obra e a crença é de que sejam os fantasmas escravizados causando tudo isso.

22. Casa em Buriti dos Lopes - Buriti dos Lopes, Piauí



A casa simplória da rua Tiradentes, em Buriti dos Lopes, é considerada um caso de Poltergeist. Dizem que o lugar é habitado por uma senhora idosa que já perdeu quase todos os seus bens, pois estes voam do nada pela casa e se quebram. Alguns moradores da rua afirmam já terem visto copos voando e quebrando até na calçada. Além de estranho, você ainda corre o risco de estar caminhando tranquilamente pela rua e levar uma copada do além na cabeça.

23. Casa da Marquesa de Santos - Rio de Janeiro



Esse casarão foi lar de Domitila de Castro (1797-1867) ou a Marquesa de Santos, amante de D. Pedro I, razão pela qual Dona Maria Leopoldina morreu de desgosto. Quem o visitou, tem uma sensação estranha de que ela estaria observando os visitantes.


24. Casa da Dona Yayá - São Paulo


Em 1870, uma mulher muito rica e conhecida como Dona Yayá foi diagnosticada com uma doença mental. Por conta disso, foi mantida reclusa na casa por 40 anos, entre 1921 e 1961, numa espécie de hospício particular. Considerada independente e avançada, Yayá, quando jovem, era uma descontraída e alegre protetora dos artistas. Mas a primeira tragédia, entre tantas, acometeu dona Yayá: em 1900, seus pais morrem com diferença de dois dias. Cinco anos depois, fazendo uma viagem à Argentina de navio, seu único parente restante, o irmão Manoel, desapareceu misteriosamente de seu camarote. Yayá se torna a única herdeira da imensa fortuna. Depois disso, seu estado mental piorou. Ela achava que todos queriam violentá-la e matá-la até que morreu de câncer, em 1961. Dizem que, até hoje, ela assombra a casa.

25. Fórum Criminal de Porto Velho - Rondônia



Os “fantasmas” deste local são vistos ou percebidos por servidores que exercem funções em espaços diversos, principalmente os seguranças que trabalham a maior parte do tempo nos períodos silenciosos da noite, aos domingos e feriados. Geralmente, aparecem na biblioteca. E no banheiro do Tribunal de Justiça, conforme informam os servidores, a alma de um rapaz que teria sido assassinado naquele prédio apareceu.

26. A Casa do Morro de Cruzeiro do Sul - Rio Grande do Sul



A casa foi construída em 1873 pelo Tenente Coronel. Primórdio Centeno de Azambuja. Sua localização em um morro deve-se ao fato do Ten. Cel. Primórdio ter perdido sua residência anterior em uma enchente. Passando por outros integrantes da família Azambuja até 1914, pertenceu a outros inquilinos que, por fim, a abandonaram. Muitos dos moradores creem ser assombrada devido as experiências que tiveram na região que ocupa a casa, assim como os ruídos inexplicáveis que vem dela. Outros contam terem visto pessoas que aparecem e desaparecem inexplicavelmente entre seus arcos. Os mais céticos, porém, afirmam que tudo não passa da imaginação das pessoas.


27. A Mulher da Lagoa - Paraíba


Conta-se que na lagoa do Parque Solon de Lucena, em João Pessoa, surge a aparição ocasional de uma mulher loira que caminha pelo local. Alguns, disseram, inclusive, terem sido abordados por tal “fantasma”. Os moradores do lugar dizem que esta mulher foi morta e atirada nas águas da lagoa.

28. Casa da Família Batista - Pará


A casa da família Batista, em Belém, foi notícia de jornal, devido a inúmeros incidentes que acontecem no local. Entre estes destacam-se a combustão espontânea de colchões e o apedrejamento da casa. Segunda a proprietária, um dos padres que veio para abençoar o local passou mal logo ao chegar.

29. Ana Jansen - Maranhão


Ana Joaquina Jansen Pereira [1787-1889] ou Don’Ana Jansen foi uma pessoa rica e de moral duvidosa, que possuía diversos bens, entre eles inúmeros escravos, aos quais torturava sem piedade. Dizem que sua carruagem já foi vista nas ruas de São Luís, guiada por um escravo espectral. Junto com a aparição há também sons de lamúrias e súplicas, atribuídas aos escravos que torturava.


30. A Praia dos Padres - Espírito Santo


A Praia dos Padres, em Guarapari, ganhou este nome devido ao episódio em que os moradores, assombrados com aparições, vultos estranhos e vozes inexplicáveis neste local, pediram a ajuda de padres, que o exorcizaram. Mesmo os turistas descrevem ouvirem múltiplas vozes que parecem conversar na praia, mesmo que completamente vazia. Também há rumores de avistamento de sombras em forma de névoa e índios fantasmas.

31. Forte de São José de Macapá - Amapá


Esta fortaleza foi construída entre 1764 e 1784 pela mão-de-obra escrava negra e indígena. Possui torres de vigia, capela, cadeia, uma praça principal e as casas dos soldados. São diversos relatos de assombrações ou visões neste local, variando de negros descalços que surgem do nada na praça principal, como de soldados que vagam pelo local. Outro relato sobrenatural curioso é da aparição de um religioso que costuma tocar as pessoas e sumir em seguida.

32. O fantasma de Lampião - Mossoró, Rio Grande do Norte


O Museu da Resistência foi fundado para marcar o local onde os moradores da cidade resistiram bravamente contra a invasão do Bando de Virgulino Ferreira da Silva(1898-1938), o famoso Lampião, em 1927.

Diz-se que o cangaceiro nunca aceitou essa derrota e, de tempos em tempos, tanto o fantasma dele como do seu bando são avistados se lamentando pelas redondezas e assombrando os moradores.


33. O fantasma de Bento Gonçalves – Triunfo, Rio Grande do Sul



A casa onde nasceu Bento Gonçalves (1788-1842) se tornou um museu onde se encontra todo tipo de artefato da Guerra dos Farrapos  que aconteceu entre 1835 e 1845. Lá se encontram expostos garruchas, revólveres, uniformes, entre outros. A aura de Bento Gonçalves está presente na casa e os turistas afirmam ter avistado fantasmas dos combatentes andando pelos corredores.

34. Poltergeist no Teatro Santa Roza - João Pessoa, Paraíba



O Teatro Santa Roza em João Pessoa é o mais importante da Paraíba, inaugurado em 1889. Antes da sua construção, o lugar era violento e existem boatos de que pessoas foram assassinadas e enterradas na praça. Há relatos de fenômenos de poltergeist, onde portas e janelas que se abrem, além de vultos que aparecem e somem do nada e que amedrontam pessoas mais sensíveis que andam pelo local, especialmente a noite.

35. Fazenda de Carandaí - Minas Gerais



Conta-se que a Fazenda Carandaí é mal assombrada e que é possível ouvir o barulho dos chicotes, gritos e até o som da moenda produzindo a cana. Há um boato que, nas proximidades da fazenda, tinha um cemitério de escravos que eram  cruelmente castigados, antes de serem mortos por seu feitor.


36. Barco Fantasma - Pantanal, Mato Grosso



No final do século 19, um barco afundou na Baía de Chacororé. O povo conta que nas noites de Lua cheia ele surge do fundo das águas para navegar por alguns segundos e depois desaparecer. Dizem que é possível ouvir o barulho da embarcação, os risos e as vozes da tripulação.

37. Pedra do Guindaste - Macapá, Amapá



Na década de 1940, um navio naufragou e, para marcar o local, construíram o atual bloco de concreto chamado “Pedra do Guindaste”, que tem sobre ela a imagem de São José, padroeiro de Macapá.
Conta a lenda que, se retirarem a Pedra, as águas irão subir e Macapá ficará encoberta pelas águas. Dizem que nesse local existe um fantasma de uma mulher que teria morrido afogada. Ela aparece subindo das águas, durante a noite, pedindo socorro para depois desaparecer.

38. Serra dos dois irmãos - Viçosa, Alagoas



Zumbi foi o último dos líderes do célebre Quilombo dos Palmares — cuja recusa à submissão à Coroa Portuguesa era categórica, resistindo por vários anos. Ele foi morto no dia 20 de novembro de 1695, na Serra dos Dois Irmãos, em Viçosa (AL). Há quem diga que ainda é possível ouvir os estampidos dos tiros no local.


39. Ana Maria do Couto - Cuiabá, Mato Grosso



Ana Maria do Couto era conhecida, na década de 1940, por seu desempenho exemplar em política e comunicação, sendo também uma apoiadora incondicional dos esportes. Mas 30 anos depois, ela desenvolveu câncer e ela acabaria por sofrer demasiadamente antes da sua morte - o que explica os gritos de dor ouvidos nas proximidades de sua antiga casa e também no ginásio da cidade.

40. A Cidade Fantasma de Fordlândia - Pará



Em 1920, Henry Ford, um dos maiores empreendedores da História e fundador da fábrica de automóveis Ford, comprou terras às margens do Rio Tapajós, com o objetivo de cultivar seringueiras para que pudesse produzir a própria borracha utilizada nos pneus de seus carros. Para tanto, toda uma cidade foi construída no local, a fim de abrigar as pessoas que trabalhariam na empreitada.

Entretanto, ao fim da Segunda Guerra Mundial, o projeto acabou abandonado devido a falta de planejamento para a plantação das seringueiras, que foram atacadas por pragas e a insatisfação dos funcionários brasileiros com as condições de trabalho. Restou, no local, apenas uma cidade fantasma e relatos de que o local é assombrado. [Saiba mais AQUI]

Você conhece algum outro lugar assombrado no Brasil? Já teve uma experiência paranormal em um desses locais? Conte nos comentários!

Compartilhe no Google Plus


Sobre Luciana Costa

Blogueira, escritora e life coach. Autodidata aplicada, amo psicologia e filosofia. Gosto de mistérios e curiosidades em geral. Esse blog é parte do que mais gosto de descobrir: os mistérios do mundo.

0 comentários:

Postar um comentário